Curiosidade

Quais são os desafios da educação em Moçambique

Quais são os desafios da educação em Moçambique
Quais são os desafios da educação em Moçambique

A falta de infra-estruturas escolares, a qualidade de ensino, o impacto da violência e do abuso nas escolas, a corrupção, a disponibilidade de professores, o analfabetismo, o impacto da língua portuguesa nos resultados educacionais e o impacto de tradições e da cultura no direito das crianças à educação, educação inclusiva, ensino bilingue em Moçambique, é uma realidade que veio para ficar, novas tecnologias, novos alunos, novos professores, ser professor, também é ser aluno, educar com tecnologia, ensinar e aprender com a internet são alguns desafios que dificultam o progresso da qualidade de ensino, sobretudo nos níveis primário, secundário e técnico-profissional em Moçambique.

A falta de infra-estruturas escolares em Moçambique
As infra-estruturas escolares são importantes para garantir qualidade do ambiente de aprendizagem. A superlotação é um problema sério nas escolas moçambicanas. O grande aumento no número de alunos no Sistema de Ensino nos últimos anos agravou a superlotação nas escolas e salas de aula.

O analfabetismo
Na altura da independência, em 1975, Moçambique tinha uma taxa de analfabetos superior a 93%, com taxas ainda mais elevadas nas mulheres, o que representou um enorme desafio para o desenvolvimento da educação. Os esforços do governo e das comunidades nos anos seguintes foram bem-sucedidos na redução da taxa de analfabetismo para 72% em 1980.

Qualidade de ensino
A qualidade de ensino continua a ser uma área de grande preocupação em Moçambique.

Uma educação de qualidade pode significar tanto aquela que possibilita o domínio eficaz dos conteúdos previstos nos planos curriculares; como aquela que possibilita a aquisição de uma cultura científica ou literária; ou aquela que desenvolve a máxima capacidade técnica para servir ao sistema produtivo; ou, ainda, aquela que promove o espírito crítico e fortalece o compromisso para transformar a realidade social

Participação das crianças
O sistema educativo, ao invés de centrado na criança, continua a ser centrado no professor.

As crianças só falam em resposta a questões colocadas pelos professores e são incentivadas a responder em uníssono.

A educação contemporânea é entendida como a mudança do ensino antigo com a de hoje, realçando o facto de estar praticamente da mesma forma. Contudo é o ponto fundamental para uma percepção mais ampla do mundo moderno.

A família e a Escola
Família – é uma estrutura social básica na qual a pessoa tem vivido suas primeiras experiencias de aprendizagem por um longo tempo.

Escola – é uma instituição que tem como finalidade a formação e a educação da criança e adolescente.
Diante de todas as mudanças sofridas pela primeira instituição social responsável pela educação infantil, buscamos apontar a relevância da participação da família e da escola no desenvolvimento infantil.

Para Coelho (2004) a família e escola são instituições responsáveis por desencadear os processos evolutivos nas pessoas. A família é uma estrutura social básica, na qual as pessoas vivem por um longo tempo, é com ela que as crianças têm suas primeiras experiências do seu comportamento. Ainda segundo outros autores aprendizagem acontece o tempo todo, dentro e fora da escola e em vários níveis de consciência.

Educação inclusiva
É uma acção educacional humanística, democrática, amorosa, mas não piedosa que percebe o sujeito em sua singularidade e que tem como objectivo o crescimento, a satisfação pessoal e a inserção social de todos.

A educação inclusiva acolhe todas as pessoas, sem excepção. É para o estudante com deficiência física, para os que tem comprometimento mental, para os superdotados, para todas as minorias e para a criança que é discriminada por qualquer outro motivo.

Ensino bilingue em Moçambique, é uma realidade que veio para ficar
Segundo o Plano Curricular do Ensino Básico-PCEB (2003), uma das inovações na transformação curricular do ensino básico em Moçambique, foi a introdução de línguas moçambicanas no ensino.

O ensino bilingue trouxe uma nova dinâmica no processo de ensino e aprendizagem nas zonas rurais.
Desde 2003-2011 o ministério de educação em Moçambique através do Instituto Nacional do Desenvolvimento da educação (INDE) estava a testar os programas de ensino bilingue, a capacitação dos professores, a produção de materiais didácticos, monitoria e supervisão desta modalidade do ensino. Desde 2012 para diante é a fase de expansão do ensino bilingue depois de terem sido recolhidas várias experiencias.

Novas tecnologias, novos alunos, novos professores
Tecnologia – é um produto de ciência e da engenharia que envolve um conjunto de instrumentos, métodos e técnicos que visa a resolução de problemas.

A educação e o sistema educativo sofreram grandes mudanças nos últimos tempos. A partir do século XX os avanços tecnológicos popularizaram o acesso a informação, modificando a maneira como vivemos e, consequentemente, a maneira como aprendemos. A nossa sociedade actualmente, está em rede, isso provocou mudanças marcantes.

Ser professor, também é ser aluno
Os professores precisam desenvolver conhecimento e habilidades continuamente durante as suas carreiras. Segundo Beard (2008), evidências comprovam que investir em professores é o investimento mais produtivo para aumentar a eficácia e melhoria na escola. É essencial reflectir em como ensinar tanto quanto o que ensinar. Dessa forma, é necessário pensar em novas metodologias do ensino e apoiar-se nas ferramentas que surgem a fim de melhorar a qualidade de ensino, aos níveis de refutar as qualidades que esses oferecem.

Educar com tecnologia
Educar é um processo complexo, não é somente ensinar ideias, é ensinar também a lidar com toda essa gama de sensações, emoções que nos ajudem a nos equilibrarmos e a viver com confiança. O professor que tem uma atitude de equilíbrio e que inspira confiança, ajuda os seus alunos a evoluir no processo do ensino e aprendizagem.

Ensinar e aprender com a internet
Internet é fácil de aprender, é uma tecnologia legal, você a domina em pouco tempo. Mas a questão humana é um desafio que as tecnologias não conseguem dar conta.

A internet é uma mídia de pesquisa, cuja palavra-chave é “busca” o “search”. É também uma mídia de comunicação, com ferramentas como o “chat, email, o fórum. Mas fundamentalmente a internet começa assegurar novos serviços virtuais, on-line.

Finalidade da educação em três momentos históricos de Moçambique
A educação em Moçambique em três momentos históricos destacam-se em: Era colonial; era da independência e pós-independência.

Moçambique passou por momentos críticos na era colonial em todos aspectos.

Na era colonial muitos moçambicanos tiveram dificuldades de ter acesso a educação, visto que, a educação de qualidade estava reservada para os colonos e seus filhos.

Ensino oficial destino aos filhos dos colonos ou dos assimilados.

Ensino rudimental que destinava-se a civilizar os indígenas da colónia ensinando a língua e a cultura portuguesa, criado em 1930 e era destinado aos moçambicanos e não assimilados, partindo da 1ª a 4ª classe.

Ensino técnico profissional dividia-se em dois sectores: comercial, e industrial, era antecedido de um ciclo proprietário de ensino.

Era da independência
Nesta época o ensino tinha um carácter exploratório.

Pós-independência
A educação tinha como objectivo a formação de quadros para acção política e armada, na criação e no desenvolvimento de uma nova mentalidade.

Leave a Response